e-SicFacebookYoutube
-

Notícias

PW Brasil inicia produção e presidente anuncia a geração de 200 empregos diretos

Paulo Vieira: PW Brasil vai ampliar 40% sua produção com a fábrica em Baixo Guandu

30/08/2017

O diretor presidente da PW Brasil, Paulo Roberto Almeida Vieira, anunciou ontem o início da produção da fábrica em Baixo Guandu, ainda em fase de testes e treinamento neste mês de setembro. 
 
A inauguração oficial da indústria acontece em outubro, com geração de 200 empregos diretos quando a fábrica estiver em pleno funcionamento. De imediato serão contratados 70 empregados e a cada 30 dias este número vai se ampliar, com o auge da produção previsto para o primeiro semestre de 2018.
 
Segundo o presidente Paulo Vieira, de imediato serão contratados costureiras, mecânicos de máquinas, encarregados de produção e cortadores de tecidos.

A PW Brasil disponibilizou, inclusive, um email para os interessados em enviar currículos: rh@pwbrasil.ind.br
 
A fábrica da PW Brasil está em fase final de instalação em Baixo Guandu numa área de 23 mil metros quadrados, onde se situava o antigo Parque de Exposições da cidade. O galpão principal de produção soma cerca de 5 mil m², onde serão confeccionados peças de roupa masculina e feminina de duas grifes conhecidas nacionalmente: a Vide Bula e a Missbella.
 
O investimento total  da PW Brasil em Baixo Guandu gira em torno de R$ 14 milhões e a fábrica vai ampliar em cerca de 40% o vestuário produzida pela empresa, que possui também duas unidades em Colatina.
 
O presidente Paulo Vieira explicou que a expectativa da indústria em Baixo Guandu é excelente, mesmo com o quadro forte de recessão econômica que tomou conta do país desde 2014. “O pior cenário já foi e pelo menos a economia não está caindo mais”, explicou o empresário.

 
Maior empregador
Quando estiver em plena produção, a PW Brasil será a maior empregadora do setor privado em Baixo Guandu, gerando 200 colocações diretas e outra quantidade considerável de empregos indiretos. Dez famílias de costureiras de Baixo Guandu já estão trabalhando para a empresa em sistema de facção, executando serviços específicos em peças de roupa no sistema produtivo.
 
De olho na geração do grande número de empregos na cidade, a Prefeitura estabeleceu em agosto uma parceria com o SENAI, com aulas para costureiras em dois níveis: formação e aperfeiçoamento. São 40 alunas em duas turmas, que se formam entre setembro/outubro e , conforme a demanda exigir, novas turmas serão formadas.
 
Para o prefeito Neto Barros, a instalação da PW Brasil em Baixo Guandu é um grande marco na economia local, não somente pela geração de 200 empregos diretos e outra  quantidade de forma indireta, mas também pelo referencial que a empresa representa no mundo da indústria do vestuário.
 
“A PW Brasil é a maior indústria de confecções do Estado e suas grifes são conhecidas nacionalmente”, destacou o prefeito Neto Barros, que vê uma forte tendência no surgimento de um polo do vestuário na cidade. “Não tenho dúvidas que é um divisor de águas em nossa economia, por isto mesmo lutamos muito para atrair esta grande empresa para Baixo Guandu”, completou.
 
Hoje existem dois polos de confecção fortes no Noroeste do Estado: em Colatina, o maior deles, e em São Gabriel da Palha. Agora chegou a vez de Baixo Guandu se integrar neste segmento da economia, com amplas possibilidades de uma expansão fantástica nos próximos anos.

 

ES

BrasãoRua: Francisco Ferreira, n°40 Bairro: Centro CEP: 29730 – 000
Tel.: (27) 3732 – 8900 | Fax: (27) 3732 – 8900
CNPJ: 27.165.737/0001-10

Desenvolvido por DesignMaster Agência Digital